terça-feira, 11 de julho de 2006

alucinação


autor desconhecido

viver deserto de
esperanças nos
pós e areias em
tempestades com
lábios gretas de
aridez das
cruas
dunas múmias de dor

ocaso frio oásis de
tâmaras e seiva com
beijos de sabor num
torpor de saber a sol

bêbada a mente por
completo de ti

daniel

18 comentários:

justine disse...

se as palavras fossem sempre o que parecem ser, como se encontaria empobrecida a imaginação dos homens...

por isso gosto tanto dos teus brincos...

um beijo
justine

Unknown disse...

"justine"!
As palavras pretendem ser, aqui, a própria alucinação. Conseguir ou não o pretendido... depende também do leitor.
Parece-me que, no teu caso, o obectivo foi atingido.
As tuas palavras são um incentivo... que guardo!
Muito obrigado!
Volta sempre porque gosto muito da tua presença... mesmo se opinião for distinta desta!

Outro.
daniel

Al.Jib/Gabriela R. Martins disse...

o poema é teu

as tâmaras minhas

o deserto

dos dois

o sortilégio

de muitos


urrah!urrah!

amanhã virei em demanda ... não ,não ... de POESIA

Unknown disse...

"al-jib"!
Um texto alucinado como se as próprias palavras (se) embebedassem.
E lembrei-me das tuas "alucinações"/comentários nos momentos em que o escrevi.. Que melhor cenário que o deserto?
Obrigado.
Volta sempre em demanda dos textos que encontrares...
E não lhes chames poesia porque os poetas darão uma volta no túmulo... E digo isto muito a sério!

daniel

Non disse...

Uma mente embriagada por alguém. Somemos tâmaras a essa bebedeira cerebral. Aridez areia deserto (ou infinito?).

É dose Daniel... para qualquer um.

Bj

:)

Unknown disse...

"mortal"!
Como as leituras pegam em motivos diferentes! Deve ser esse um dos encantamentos de quem escreve...
Não te passou desapercebida a completa embriaguez causada por alguém...
No texto, as palavras embriagam-se-e-nos! Até próximo da alucinação...
Muito obrigado. Diria que a dose é... "mortal"!

Outro.
daniel

Maresi@ disse...

Belo poema esse...continuo a vir "beber" as tuas palavras Daniel.. e voltarei...
Beijo Maresi@

Unknown disse...

Olá, "maresi@"!
Obrigado. Continua. Volta!

Outro.
daniel

Al.Jib/Gabriela R. Martins disse...

meu amigo!

a Poesia - como dizia a Natália Correia - é para comer

e se assim é

ser Poeta é


não fales a sério

sê!

just me, an ordinary girl disse...

Palavras que embriagam e não entorpecem.
Gostei muito, Daniel.

um beijoooooooooooo, para ti.

Carla disse...

Sentidos embriagados pelo adocidado sabor do "ser"...

beijos

Unknown disse...

"al_jib"!
Natália Correia era poetisa. Vês a diferença que eu sinto?
Serei... ou não! Não é muito importante...
Basta-me escrever.

Um abraço.
daniel
+++++++++++++++++++++++++
"just..." yoou!
Se embriagaram sem entorpecer... dou-me por feliz!
Obrigado!

Outro para ti!
daniel
+++++++++++++++++++++++++
Olá, "nadir"!
Pois é... a embriaguês/loucura dos sentidos...

Outros.
daniel

e. disse...

Daniel

..."bêbada a mente por
completo de ti..."
Ah! sei do que falas...e como sei! a paixão embriagou-me...já não me pertenço mais...


desire
bjinhos

Unknown disse...

"desire..." you!
Um sorriso... Cuidado!
;-)

Outros.
daniel

della-porther disse...

Dan.

Pra mim... amar é estar completamente embriagada do ser amado, assim é minha intensidade no amor e na vida.Não abro mão disso.

adorei o texto.

beijos carinhosos

Unknown disse...

"della-porther"!
Não abras mão... Nem deixes que ta abram.
Obrigado.

Outros.
daniel

Unknown disse...

completa mente bêbada ...
no torpor de saber a sul ...

viver cheio de esperanças,,, em pós e areias quentes e douradas...

de tâmaras doces..

um beijo

Unknown disse...

"ailéh"!
Tu vives cheia de esperanças... Basta-me o deserto da esperança... uma parte da dose da alucinação.

Outro.
daniel