terça-feira, 27 de novembro de 2007

táctil


"basic instinct"

na noite da última fila
numa sala de cinema
perto de ti

sentimo-nos

tu
vestida
e nua

eu
uma mão
a tua

Daniel Sant'Iago

21 comentários:

Tó Gomes disse...

Sem pipocas para besuntar o nu da pele!

daniel sant'iago disse...

tó gomes
Sem...

gabriela r martins disse...

seu malandro!!!!!!!!!

( eheheheheheeh )

beijocas

Maria P. disse...

Não é grande...
Não é pequena...

...a mão
Que assim escreve...

...é perfeita!

Beijo.

Poemas e Cotidiano disse...

Querido Daniel:
O bonito dessa poesia eh a insinuacao. O sentir.
Esse "vestida-nua"...
E esse "uma mao" tem sentido dubio... como se fosse "uma rua de uma mao"...e entao... a dela...
Voce sempre surpreende. E encanta.
Um beijo
Mary

princesa disse...

*
nesse nudez...

pele de pêssego
ou
pele de laranja?

Grande filme (sensual)!

+um

Fuser disse...

Dan


deixei música brasileira no Novembro. Vai lá, sei que vais gostar.

eu gostei... de sua postagem toda (rsrs)

beijos

Fuser

paper-life disse...

Ser a mão. ser a boca. ser o écran complecto.

Nada mau. ;)

Anónimo disse...

que doce aninhar numa mão que nos acaricia e envolve!
Carla

daniel sant'iago disse...

gabriela
Ou descarado...

maria p.
Nem tanto...
Nem tanto...

mary
O tacto...

princesa
Ou pele de galinha...

fuser
Lá irei...

paper-life
"Numa sala de cinema perto de si!"
;)

carla
Muito doce...

ivone disse...

a sharon stone até corta a respiração!

acho que me iria engasgar só com o cheiro intragável a pipoca.

agora a questão das mãos isso é outra conversa para outro momento.

Secreta disse...

Sem ti...

Beijito.

Poemas e Cotidiano disse...

Daniel: Algo gostoso no seu Blog, eh que a gente sempre volta para ler sua resposta. Acho isso uma bonita interacao com seus leitores. Tentei isso com o meu Blog, mas nao funcionou. Nao sei porque, nao me "planejei" bem. Mas gosto de vir aqui, como lhe disse, para ler as suas respostas.

Beijos!
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

Alias, falando em tato, (tacto) vai aqui para voce uma poesia que fiz em 2005.

TATO

Foi o momento
o momento exato
o fato
concreto

A palavra
morreu
na curva
da vertigem

Na escuridao
dois olhos
perdidos

Os pensamentos
cruzaram
o espaço

Rápidos
imperceptíveis
emocionados...

A alma
lentamente
saiu pela janela....

Momento exato
do tato...

Beijos
MARY

as velas ardem ate ao fim disse...

Na tua.

bjo Daniel

daniel sant'iago disse...

ivone
Tens toda a razão...

secreta
Sem mim...

mary
Um exercício arriscado... sem a rede do olhar (no mínimo...)!

(O teu) Poema: Afinal... já em 2005... antes mesmo de "eu" existir... já tu brincavas com as palavras e já o tacto (tato) seduzia (com êxito...) sem o som das ditas...

vela
Mais palmo... menos palmo...
Mas... podia ser.

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Que sensasorial esse cinema;)

beijinhos muitos

*Belynha* disse...

táctil
...
fútil
...
fácil
...
nem sempre rimam... mas também sabe bem quando...
:)

Tenho um novo blog, convido-te a espreitar.
Um abraço, Sant'iago!

Lucy disse...

adoro pouca luz...

Mel de Carvalho, www.noitedemel.blogs.sapo.pt disse...

Poemas minimalistas e, contudo, de elevado sentido estético e sensorial.

Um abraço
Mel

daniel sant'iago disse...

_e se eu... tu lias?_
Táctil...

*belynha*
Tudo em demasia...
Já lá fui.
Vamos cantar?

lucy
Uma luz coada...

mel
Textos de e para sentires...