domingo, 23 de dezembro de 2007

o meu pinheiro manso - III


"le grand sapin" de paul cézanne

(
... Abre este saco de plástico.)

- Um pinheiro, avô!


Reconheço a planta na palma da minha mão.

- Comprei ao Ti Adelino, hoje, ao sair da missa.

Planta-o.

Encosto a sachola às cepas de quatro videiras
acabadas de arrancar. Frescas. Húmidas.
Bem no centro, aconchego de terra o pinheiro
como quem puxa o cobertor de papa sobre o corpo
dum filho.

Para que não tenha frio.
E durma sereno.

- Este é o teu pinheiro-manso.
Não o cures.
Cuida dele como aos teus.
Até aos netos dos teus netos.

E, desde então, o meu pinheiro-manso cresceu comigo.
Segurei-o a uma estaca.

Podei-o.
Resguardei-o da ventania.
Reguei-o.
Vi da flor a pinha.
Trinquei da pinha o pinhão.
Assado pelo forno do Sol.

(vai, daniel! aguento-me já de pé.
não me cures. cuida-me!)

Entre ramos, construí cabana de paus e baraços.

Entrelaçados entre nós lassos.
E fumei o primeiro cigarro proibido.

E li o primeiro livro proibido.
E o primeiro amor proibido.
E a primeira vez clandestina.

sobre cama de carumas

catei pinhões e fiz o pino
gritei palavrões e cantei hinos

O meu pinheiro-manso será o mais velho.

De outros pinheiros-mansos.
Os dos meus filhos e os dos meus netos.

naquela várzea de vinha velha
junto ao ribeiro
na fazenda do meu avô
lá bem ao fundo
duma árvore nasceu um bosque

Meio do dia.

De Março.
Domingo.

Daniel Sant'Iago

12 comentários:

Ka disse...

Caro Daniel,

Um santo natal cheio de saúde e paz de preferência acompanhado por todos s que te são queridos.

Beijinho

Maria P. disse...

Obrigada por contares o Natal de Março.
Como um presente, assim O senti...
Beijo.

Poemas e Cotidiano disse...

Meu amigo querido:
Que coisa mais bonita essa sua poesia. A gente ve o momento em que o bom avô dá o pinheiro, o cuidado de suas maos, e ele, crescendo com você...você o protegendo, e na verdade ninguem o protegia... Fez tudo que teve direito, com o pinheiro assistindo...mais do que um pinheiro, um companheiro. Mais que um companheiro, uma ligacao sentimental unica: o sentimento pelo avô.
Na verdade ele deu esse pinheiro a você para que lhe fizesse companhia e fosse o seu modelo para crescer:
- Ele foi sua estaca
- resguardou-o da ventania
- regou-o com companhia
- assistiu sua mudanca de menino para homem


Que historia bonita e profunda.
Um beijo meu querido
MARY

madalena disse...

Tão bonito que dói!
Obrigada.
Ah e Boas festas. :)

Bj

APC disse...

És daqueles escritores que lhe merecem o nome. Tremendamente bonito. Tanta vida, nessa memória narrada de uma meninice de natal!

Um abraço, para além dos votos! :-)

Maria P. disse...

Hoje...beijinho e Xi para ti que és(me) muito especial!

Beijo,
Maria

daniel sant'iago disse...

ka
Para ti... deixo a Esperança no sapatinho!

maria p.
Claro... a minha prenda de natal.
Alguns dos pinhões, assados em forno de sol, são teus. Trinca-os!
Muito obrigado... pelo resto.

mary
O meu pinheiro de natal...
Partilho os pinhões, assados em forno de sol. Trinca os teus!

madalena
A minha prenda para o teu sapatinho... também!
Que os pinhões, assados em forno de sol, te não doam.
São para ser trincados com... Esperança!

della-porther disse...

Dan

Vim desejar-lhe um feliz Aniversário, repleto de alegrias...
você é um presente para mim e devia eu dar-lhe um...deixo a minha amizade, apesar de tão imenso oceano a nos separar, o que não nos mantém distante.
Ao meu texteiro:
- toda a força positiva do universo o proteja e o permita continuar a brincar tão doce e delicadamente com as palavras.

um beijo cheio de carinho e boa amizade,
gosto muito de ti.

Emília Couto Della-Porther

Bom feriado também.Volto depois para desejar-lhe o ano novo.

Afrodite disse...

Tudo de bom para ti. Hoje e sempre.

Um abraço apertado

daniel sant'iago disse...

della-porther
Deixei-te uns pinhões, torrados em forno de sol, embrulhados em papel de Esperança.
Trinca-os!

afrodite
Bem-vinda!
Partilho contigo, neste natal e para 2008, um punhado de pinhões do meu pinheiro-manso, com sabor a Esperança!
Trinca-os!

O'Sanji disse...

Natal é em Dezembro. Duas vezes, tanto quanto sinto. E há tantos sentires em tantos meses...
Como é bom "brincar" com as palavras... E fizeste o que te pedi. Enfeitaste bem o teu pinheiro com elas. Para que se acredite que até existe natal em março. E cada um/a lê e sente o natal como se fosse seu...
Um beijo e continuação de bom natal.

daniel sant'iago disse...

o'sanji
Como se fosse seu...