segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

a todos... a minha prenda de natal


"le grand sapin" de paul cézanne

Para ti.
Eu conto.

O MEU PINHEIRO-MANSO

Domingo.
De Março.
Meio do dia.

Chega da missa com as costas da mão direita
alapada aos rins.

E um saco de plástico amarrotado, seguro pelas asas.
Bate as botas no tapete da entrada.
Salta-lhe o pó e um grito:

- Malditas cruzes!

(que cruzes, avô, que cruzes?)
- Aqui… não nas vês?

Não.

Mas hoje sei.
Porque as sinto embora ainda as não veja.
Cruzes, canhoto!

Após o almoço de sopa, pega pelas asas o tal saco.
De plástico.
Ainda e todo amarrotado.

A sachola c(r)avada no ombro.

E sai:

- Já te chamo.

Mais pela tardinha, a senha ressoa pela encosta,
vinda da várzea, junto ao ribeiro:

- Já não falta cá ninguém!
- Lá vou, meu avô, lá vou! – a contra-senha pelo
caminho inverso.

O carreiro da fazenda ziguezagueia sob os meus pés.

- Pega!

Passa-me das suas mãos de calos para a ternura
das minhas o cabo nodoso da sachola.

- Cava aqui um buraco do tamanho dum palmo dos meus.

E aponta com a bota.
Olho.
Meço.
Cinco vezes o meu palminho.
Umas sacholadas na terra negra de estrume.

- Chega. Abre este saco de plástico.
- Um pinheiro, avô!

Reconheço a planta na palma da minha mão.

- Comprei-o ao Ti Adelino, hoje, ao sair da missa.

Planta-o.

Encosto a sachola às cepas de quatro videiras
acabadas de arrancar. Frescas. Húmidas.
Bem no centro, aconchego de terra o pinheiro
como quem puxa o cobertor de papa sobre o corpo
dum filho.

Para que não tenha frio.
E durma sereno.

- Este é o teu pinheiro-manso.
Não o cures.
Cuida dele como aos teus.
Até aos netos dos teus netos.

E, desde então, o meu pinheiro-manso cresceu comigo.
Segurei-o a uma estaca.

Podei-o.
Resguardei-o da ventania.
Reguei-o.
Vi da flor a pinha.
Trinquei da pinha o pinhão.
Assado pelo forno do Sol.

(vai, daniel! aguento-me já de pé.
não me cures. cuida-me!)

Entre ramos, construí cabana de paus e baraços.

Entrelaçados entre nós lassos.
E fumei o primeiro cigarro proibido.

E li o primeiro livro proibido.
E o primeiro amor proibido.
E a primeira vez clandestina.

sobre cama de carumas

catei pinhões e fiz o pino
gritei palavrões e cantei hinos

O meu pinheiro-manso será o mais velho.

De outros pinheiros-mansos.
Os dos meus filhos e os dos meus netos.

naquela várzea de vinha velha
junto ao ribeiro
na fazenda do meu avô
lá bem ao fundo
duma árvore nasceu um bosque

Ao meio do dia.

De um março.
Era Domingo.
Foi Natal.

.................................................

Nos natais, renasço!
Nas passagens de ano, acorrento-me à Esperança!
Deixo-vos, feito menino jesus de minha mãe,
a cada um e a cada uma de vós,
um punhado de pinhões torrados
em forno de sol.

Das pinhas do meu pinheiro-manso!

Daniel Sant'Iago

19 comentários:

o'sanji disse...

Pois.. eu prefiro deixar-te a esperança de uma pinha que dará novos pinheiros. Apesar de as minhas matas serem de carvalhos, menos mansos, talvez, mas mais fortes e resistentes ao fogo.
Um feliz natal, seja julho, agosto, outubro, dezembro, janeiro ou fevereiro.
Beijo, Daniel, por ser hoje o natal da véspera do natal. E porque sei que esta história também é minha.

Nelsinho disse...

Belíssimo presente! Muito obrigado.

FELIZ, MUITO FELIZ NATAL!

ivone disse...

se pudesse oferecia__te a lua cheia desta noite.

Maria P. disse...

Obrigada, tu sabes...

Beijo.

Ashera disse...

Obrigada carissimo
Tens a fonte que não seca
Bebamos de tuas aguas
Momentos são
De alegrias te vistas nestas festividades
Beijo, beijo e mais beijo

Olá!! disse...

Nem sei que te diga, acho que seria incapaz de comer esses pinhões... vou guarda-los num frasquinho e sempre que os olhar lembrar-me deste delicioso momento.
Obrigada.

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Que o Novo Ano Vos traga ...
cor, calor, alegria, magia, energia, felicidade, simpatia, paz, saúde, amizade, amor, sentimentos, emoções, agitações, lágrimas e canções...tostões

Que cada dia de 2008 vos faça ...
sentir, sorrir, sonhar, imaginar , acreditar e Viver com toda a intensidade que merecem.
Aprendam, sintam, reagam, lutem pelo melhor,acreditem!

Que seja um Ano de...
paz, tolerância, compreensão, conforto, justiça e Amor

Que estes números mágicos... 2008 nos unam cada vez mais e intensifiquem a amizade que nos une e a cumplicidade que nos caracteriza. Sejam felizes e façam felizes alguém... todos os dias e por favor, cheguem ao fim do ano e digam:
Caramba, Valeu a pena!!!!
Desejo-vos o melhor ano de sempre, durante o qual alcancem os vossos melhores e mais secretos sonhos e que realizem e concretizem os melhores objectivos.
Beijinhos

BOM ANO!!!!!!!

Maria de Lurdes disse...

Grata pelos pinhões torrados, em jeito de esperança renovada.
Que 2008 te seja tão suave e balsâmico quanto o é o odor terpénico que exala do teu pinheirinho manso, ora convertido em pinhal.

princesa disse...

*

Que este Natal e 2008
sejam o renascer e a esperança!

... da prenda, rinco um pinhão...

BRAVO

Ka disse...

Obrigada pelos pinhões (adoro pinhões) e que o ano de 2008 chegue, novinho cheio de esperança e coisas boas ...

Beijinho :)

Micas disse...

Obrigada por esta prenda tão deliciosa e tão cheia de magia. Apesar do frio de Dezembro, por aqui faz sempre sol e cheira tão bem, cheira a pinheirinho manso.

Desejo-te um 2008 pleno de Esperança e de muito sol...
Beijo

APC disse...

Costumo contar aos meus formandos, no último dia em que estou com eles, a história de um pinheiro e de uma laranjeira. É uma história com um príncipe, imagina! E, mesmo assim, conto-a a adultos. Bem podes ver'...!

Muito bonita, a tua.
Obrigada, e bom renascimento!!! :-)
X

Tejina disse...

Arrepiei-me e senti o fresco da brisa das tuas palavras... recebi a tua prenda com carinho e sonhei... sonhei que era pequenina e tinha um mundo inteiro na minha frente para cavar desejos, enterrar tristezas e sonhar... sonhar com o que vivi, com o que vivo... e senti-me mais velha!!

Obrigado pela tua prenda, doce... mais doce que chocolates e bombons oferecidos embrulhados em papel de cores vivas e laços luminosos!!

Um beijo e uma alegria!

DDF disse...

O que eu gosto de pinheiros mansos. Gosto da árvore e do nome dela e gostei tanto do que escreveste.
Um ano fantástico e cheio de magia para ti.
beijo
D.

DDF disse...

e muito obrigada pelos pinhões :)

Poemas e Cotidiano disse...

Oi meu Anjo bom,
Nao liga nao..to meio "alta" depois de umas tacas de vinho (rs).
Vim lhe desejar um FELIZ ANO NOVO, com muitas alegrias, paz, saude.
Que tudo ao seu redor se faca verdadeiro. Que voce possa alcancar aquela plenitude nao sonhada por todos nos.
Daniel, desejo TANTA COISA boa para voce esse ano, meu querido.
Queria lhe dizer que uma coisa especial neste ano foi visita-lo e ler suas poesias.
Te gosto muito meu amigo! Com o fundinho do meu coracao!
Um beijo!
FELIZ dois mil e oito!
MARY

gabriela r martins disse...

um resto de 2007
uma taça por 2008
pelo meio

a benção dos deuses

.
.

um beijo e até lá!

madalena disse...

Pelos vistos de férias. Que te sejam boas.
Passei só a desejar um Novo Ano Melhor.

Bj

daniel sant'iago disse...

o'sanji
Mesmo com pinheiros ou carvalhos... mansos ou bravos... que seja... sempre natal!
Beijo.

nelsinho
Sempre...
Um abraço!

ivone
Recebido o luar...
Beijo.

maria p.
Saberei...
Beijo.

ashera
Não tenho... não!
Mas... bebamos!
Beijo.

olá!!
Trinca-os... mais tarde!
Beijo.

titá
Assim tentarei...
Beijo.

maria de lurdes
Sempre bem-vinda!
Que o seja...
Beijo.

princesa
É... sempre... uma esperança renovada!
Beijo.

ka
Sempre... o renascer da esperança!
Beijo.

micas
Retribuo... para quando regressares!
Beijo.

apc
Conta-ma... em troca.
É mesmo assim... em esperança renascida.
Beijo.

tejina
Feliz(es)... sente-se!
Beijo e abraço.

ddf
Sê-lo-á... à sombra de pinheiros mansos.
Beijo.

mary
Como não derrete essa neve toda... por aí?
Beijo... e (já) derretido!

gabriela
Uma? Muitas!
Uma por cada deus...
Beijo até...

madalena
Não foram férias nem lérias...
Beijo... a sério.