terça-feira, 28 de novembro de 2006

do tempo


"eleven AM" de edward hopper

dos ponteiros dos relógios
libertei-me dos
minutos
agrilhoaram-me segundos

escarr_os
com_tudo
m_açaimo
quando carrasc_o tempo
me chicoteia
escravo
d_um _a_troz_descrenç_a_bsoluta_


daniel

39 comentários:

O'Sanji disse...

Palavras encadeadas que "continuam" na dança dos ponteiros de um relógio que não pára.
Beijo

daniel sant'iago disse...

o'sanji
Acorrentado a um tempo(ral)...
Outro.

Miudaaa disse...

Somos... Somos mesmo escravos do tempo. Dos horários para tudo (ou quase tudo)...

tal como tu quero libertar-me dos ponteiros do relógio, acreditas que já pensei em avariá-los, aos ponteiros?

tenho a certeza que tal como tu, tal como eu, também eles gostariam da liberdade de ficarem soltos, sem os segundos a imporem-se para que os minutos passem...

um beijo, miudaaa

nota: como sempreee, AMEI, sou tua Fã :-)))

daniel sant'iago disse...

miudaaa
...e se não existissem relógios... como passaríamos o tempo?
Outro, "miudaaa"!

Mário Henrique disse...

Os relógios, por vezes,
só servem para saber quanto tempo chego atrasado.

É um facto!
Andamos presos no tempo e no espaço.
Só a arte nos liberta!

Mário Henrique disse...

"...
o tempo é uma invenção da morte:
não o conhece a vida
- a verdadeira -
em que basta
um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira".
(Mário Quintana)

lisa disse...

Trimmmmmmm, o relógio tocou...
São horas de levantar...ai que preguiça...
Mais um dia de trabalho, horários para cumprir...
É assim a vida! Uma azáfama constante.

:-)

Beijo.

daniel sant'iago disse...

mário henrique
Por mais que tentemos a fuga... há sempre um relógio na vida... mesmo sem ponteiros.
Um abraço!
PS: E por arte... Vamos a ela?

daniel sant'iago disse...

lisa
E se... não usássemos relógio... por um dia... só um dia... em férias?
Quem ousou? Como se deu? Porque voltou a usar o dito?
Um beijo, lisa!

Betty Branco Martins disse...

Olá Daniel

Fascinou-me o teu poema...

Não uso relógio - mas tenho-os por todo o lado - carro - telefone - em vários pontos da cidade - na S.de Belas Artes - para não falar em todos os aparelhos que se tem em casa, começando logo pelo PC que faz com que as horas entrem pelos olhos dentro

Enfim - poder ABSOLUTO - que nos corrói ABSOLUTAMENTE!!!

Beijinhos com carinho
Bom resto de semana

daniel sant'iago disse...

betty
Ao citar Mário Quintana... outro Mário... este Henrique... aponta um caminho de saída para esta escravatura: a arte!
Um post... um traço... um gesto... uma melodia... um qualquer coisa de nada... desde que arte!
De facto... na leitura de um livro... quantas vezes nos libertamos desse poder absoluto!
"Nem dei pelo tempo, acreditas?"... uma confissão frequente!
Outros.

Aluada disse...

Adorei!

Muita musicalidade no teu poema.

daniel sant'iago disse...

aluada
Bem-vinda!
A música... o ritmo... também uma luta contra o tempo!
Beijo

Angela disse...

Eu não uso relógio mas tenho o tempo controlado no telemóvel...

O tempo por vezes é imenso, outras vezes é insuficiente... O tempo também são tempos... Não podemos fugir a essa realidade.

Beijo grande.

daniel sant'iago disse...

angela
Bem-vinda!
Os eternos escravos...
Nem mesmo a arte... proporciona momentos de fuga?
E o amor... também não?
Não há momentos intemporais...
Qualquer momento supõe tempo...
Beijo.

as velas ardem ate ao fim disse...

Simplesmente belo e genial.

daniel sant'iago disse...

as velas ardem até ao fim
Obrigado.
Até as velas... para arderem... precisam de (bom) tempo...
Beijo.

mnemosyne disse...

Gostei do momento :)
Tempo...mera sombra de mim mesma distanciada dos traçados e linhas ;)
Um beijo

ana b. disse...

Em tempo do tempo, outros tempos!
Só se escolhe um tempo. O nosso.

daniel sant'iago disse...

mnemosyne
Haja alguém que não tenha tempo...
Tempo... para escreveres?
Um outro.

daniel sant'iago disse...

só eu (tu)...
Tempos outros... estes (esses) tempos!
Se pudéssemos ser só nós a escolher o nosso tempo...
Um beijo.

al-jib disse...

absolutamente divino_jogo das_imulações


deixo_beijo

Ana Luar disse...

Os ponteiros dos relógios deixam se fazer sentido, sempre que aqui entro... É um perder-me do tempo.:)

Estranha pessoa esta disse...

E quando nos libertamos dos segundos e continua o agrilhoar dos minutos, tal cascalho vai e vém de uma calçada para outra?
De uma calçada para outra, não!
Sempre na mesma calçada.

É como esse chicotear..


Violento.
Assim como esses espaços.
Esses.
E os outros da calçada.

Mnemosyne disse...

Revisitando...o tempo por ti criado ...na tua genuína forma de cinzelar as palavras com mestria, há uma voz temporal enlaçada por uma imaginação febril que nos prende às imagens recriadas.
Beijo

daniel sant'iago disse...

al-gib
Sim_ulações... do tempo que jogam_os... dois!
Beijo acolhido.

ana luar
S_eu pudes_ser_ia um tempo perdido...
Um beijo.

estranha pessoa esta
O tempo va_e o tempo vem!
Estas são simulações dum tempo que passa contínuo... deixando traços do chicote_ar...
Um beijo.

daniel sant'iago disse...

mnemosyne
Cinzel_ar... a tua leitura do meu... chicote_ar.
Traços entre_scritos... as_sim_ulando golpes de cinzel ou de chicote...
Outro.

Göttlicher Teufel disse...

"Porque Deus é o tempo
Eu sou as horas"

daniel sant'iago disse...

gottiicher teufel
Bem-vindo...
Uma citação? De quem? Tua?
Podes explicar-me o que queres dizer?
Um abraço.

*Belynha* disse...

O tempo...
Essa corrente cujos elos são incorruptíveis...
Resta-nos tentar fazer como os cães: sobreviver no espaço que a corrente nos permite explorar, fingindo ignorá-la.

Adorei o estilo de escrita da tua segunda estrofe.

Beijinha da
*Belynha*

daniel sant'iago disse...

*belynha*
Tens razão...
Agora... como os cães... é uma comparação que nunca me passaria.
Outro ou outra?

.*.Magia.*. disse...

Gosto sempre do que escreves...!
Hoje reparo que há um livro...!
Os meus parabéns !

Nestas tuas palavras encontrei algumas das minhas palavras, mas por outras palavras..."Dias assim, em que não há encontro. Há apenas um espaço entre tempos que param entre ser e estar. Uma núvem, um farrapo de céu que me cerca e prende pairando no vazio.
Que espaço é este?"

Cheers

daniel sant'iago disse...

.*.magia.*.
De facto, há um livro...
Obrigado!
Espaços ligados por traços...
Beijo.

APC disse...

... Numa luta interna e inteira contra um temporal intemporal que ao tempo se atribui sem que o relógio tenha culpa de o termos feito. Esgotamo-nos nas horas que criámos; nesse dividir da vida em pedaços que se desarticulam de forma que os não sabemos unir, e em que nos aprisionamos sem deles saber fugir. A contas com as (des)horas de nós mesmos!...

daniel sant'iago disse...

apc
Um falso problema... este... do tempo a que estamos sujeitos.
No fundo, que vida teríamos sem o tempo?
Como se tempo e vida fossem palavras e conceitos sinónimos...
Um beijo.

mfc disse...

O Tempo... temos com ele um contrato a prazo!

daniel sant'iago disse...

mfc
Tão verdade...
Um abraço.

Poemas e Cotidiano disse...

Por que seguimos o tempo? Por que nao nos orientamos pelos nossos desejos, sem tempo?
Por que esperar que os ponteiros se movam, para que nosso corpo se agite?
Beijos meu querido! Linda reflexao!
MARY

daniel sant'iago disse...

mary
Talvez... porque precisamos de muio tempo... para cumprir os nossos desejos... sem tempo...
Talvez...
Outros.