quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

eco_ar


"the persistence of memory" de salvador dalí

Não me custa nada repetir, uma vez mais...
- Amo-te!

É tão simples, tão normal e já tão vulgar...

- Amo-te!

E, já ou logo ou depois, vais repetir mais uma vez...

- Amas-me?

E, se o não repetir outra vez....

- Já não me amas…
Para, de novo, repetir... uma vez mais ...
- Amo-te!

Mas não vale a pena repetir...
Uma vez mais e outra mais outra vez...


Basta que te contemple...

Basta que a rotina não nos distraia...
Basta que não me julgues conquistado...
Basta que o óbvio nos seja transparente...

- Está bem! Eu repito! Mais uma vez...
Amo-te!

- Não! Não repetes!
Ecoas!

daniel

42 comentários:

Isabel disse...

Lindo_________________________________________________________________

Lindo_________________________________________________________________

Que tamanha beleza encontraste na forma de o dizer...

Ecoar de nós o amor...

Sabes deste meu amor " louco " pelas palavras, não é... ver novas formas, novos sentidos, novos desenhos, novas cores, novos significados para as tão amadas palavras...

Deslumbro-me sempre com elas.

Deslumbrei-me agora.

"-Não! Não repetes!
Ecoas!"

Lindo____________________________


Obrigada... sério muito obrigada.

Isabel

maria josé quintela disse...

sublime é o eco sem repetição...

daniel sant'iago disse...

Olá, Isabel!
O eco não é a repetição igual de um só (mesmo) grito, pois não?
E... quando ecoa... resssssssssoa !

daniel sant'iago disse...

Boa tarde, Maria!
Seria... o não-eco!

as velas ardem ate ao fim disse...

Lindoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!!

era tão bom que todos tivessemos capacidade, vontade e nao ter medo de dizer que gostamos.

bjos e gosto de ti.

daniel sant'iago disse...

Boa noite, Vela!
Tu não tiveste medo...
E se não gostamos?

Maria P. disse...

"Basta que não me julgues conquistado"

Este é o segredo, o desafio.

Bjos.

Nelsinho disse...

Nada existe de mais racional que o amor, mesmo que, se não correspondido, possa parecer irracional...

Nelsinho

hfm disse...

Ecoa poesia e beleza!

Poemas e Cotidiano disse...

Daniel,
Que coisa mais linda de versos.
Emocionou-me.
O final eh demais de bonito!
Beijos
MARY

daniel sant'iago disse...

Mary, boa tarde... daqui !
O eco... dos vales... também me emociona quando responde ao meu grito !
Nunca resisti a desafiar a sua voz !

O'Sanji disse...

Amor amado
amante
Amo-te repetido
Eco-ante(s)-após
sempre.

A minha ousadia, Daniel.
Beijo

daniel sant'iago disse...

Bom apetite, o'sanji!
O eco não ousa!
Repete-nos!

Zedlav disse...

Daniel

Brincar com as palavras é mais fácil, por causa do amor atrapalhei-me e..., bem e gosto mais de brincar com as palavras
Um abraço
Zedlav

Luís disse...

Nunca é demais repetir... desde que seja feito com sinceridade.

non disse...

:)

(difícil o óbvio não ser transparente em coisas de amar.)

Bjs

lisa disse...

Repete...repete eu quero ouvir uma vez mais...
:-)

Beijo.

daniel sant'iago disse...

Boa tarde, luís!
Mas é tão "chato" repetir...

Tejina disse...

Não me canso de ouvir e dizer... se com sentimento!! E sabe-se quando é assim, profundamente repetido!

No entanto há olhares que dizem e repetem vezes sem conta, sem que seja preciso ouvir o som... Entranha-se e não se estranha!!

Arrepiam-me as tuas palavras!!

daniel sant'iago disse...

Boa a tarde, non?
Pois devia ser...
Mas parece que não é...

daniel sant'iago disse...

maria p, olá!
Um desafio de todos os momentos...

daniel sant'iago disse...

Nelsinho, como vai o mar por aí?
Racional o amor?
Muito difícil...

daniel sant'iago disse...

Boas tardes, hfm!
Que ecoasse... sempre!

daniel sant'iago disse...

zedlav, olá!
Sim... preferível brincar com as palavras!

daniel sant'iago disse...

lisa, tudo azul no sul?
Repetiria se...

daniel sant'iago disse...

Olá, tejina!
Arrepios?
Da febre... talvez.
;-))

inBluesY disse...

são os ecos do passado os únicos culpados.

Mei disse...

Talvez o amor seja ouvir o eco da nossa própria voz. Sem mexer os lábios.
beijo

Ela disse...

Ecos que brotam expirados do mármore quente.
Inspirados no verso.

Beijo

(linkei,posso?)

aidamonteiro disse...

Deixo um sorriso :)

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

- Não repitas... oiço o eco das palavras na profundidade do silencio que cai sobre nós...
Sabes que os olhos tambem falam...

beijinhos

Estranha pessoa esta disse...

É esse bastar que não basta por debastar aqui bem aqui

daniel sant'iago disse...

inbluesy
Serão...

mel
Só da nossa ?

ela
Que metáfora a do "mármore quente"!
Claro... que podia !

Olá, aida monteiro
Bem-vinda!
Recebido... o sorriso.

nadir
Sei...

estranha...
Tens razão... Não bastará.

della-porther disse...

Dan

"amar como se não houvesse um amanhã".

assim estamos renovando o amor todos os dias.


beijos carinhosos

della

vida de vidro disse...

Rotina, nunca. E repetir muitas vezes, mesmo sem eco!! :)**

Micas disse...

"Basta que te contemple...
Basta que a rotina não nos distraia...
Basta que não me julgues conquistado...
Basta que o óbvio nos seja transparente..."

Bastam estas palavras tão grandes, imensas...

Beijo

Mirian disse...

Oi... Estava eu a vasculhar as inutilidades da net, peneirando algumas mentes e corações de valor e... os encontrei,
nem sei quem és, mas sei q forças poéticas me trouxeram até a seu blog hehehe. E adorei. É reflexivo, é belo. Faz-nos pulsar, sentir a vida pulsar.
Sou Mirian, tenho 21 anos, professora de História,aventureira, poetiza...
Se um dia desses estiver a fim de trocar umas ideias e fazer companhia pra um ser carente neste turbilhão planetário... só chamar.
miriancardoso@gmail.com
Abraços Aguardo resposta
Atenciosamente
Mirian Cardoso
SC/Brasil

daniel sant'iago disse...

della...
Viver cada momento como se fosse último...
Pode?

vida...
Tanto mata a rotina como a falta de eco...

micas
Bastariam se...

mirian
Bem-vinda!
Chegas (Perdoa o "tu"...) ao fim de um ano dos meus "brincos"...
Nunca será tarde.
Estarei sempre disponível para ti... para as pessoas.
Diverte-te por aqui...

Zedlav disse...

Daniel

Como gosto de Salvador Dalí
Um abração
Zedlav

daniel sant'iago disse...

zedlav
Dalí é sempre um "salvador"...

Just...Me disse...

Pois é caro amigo...por vezes dizemos e dizemos vezes sem conta sendo sempre do mais profundo que existe, do mais inocente que há em nós mas parece que não chega...parece que, se fosse de outro modo, seria melhor. Não chegará o modo como o dizemos? Será preciso mudar? E quem diz que não é sentido? Perguntas as quais as respostas me andam a fugir.

Grande abraço e parabéns pela escrita

daniel sant'iago disse...

just...me
Pois é... Também me falham as certezas!
Muito obrigado|
Bem-vinda/o!