quarta-feira, 26 de abril de 2006

pedido


eugenio recuenco

a sede do infinito em planície
gretou-me os lábios
secou-me a boca e a língua

o trilhar guloso dos carreiros
entre...

dá-me meio púcaro de barro
de vinho
branco...
dá-me regaço e berço embalado
...

e se eu adormecer
acorda-me com
frutos silvestres
um segredo e um beijo de teus lábios

(Este texto encontra-se publicado...

... no meu livro)

8 comentários:

ailéh disse...

dá-me o regaço e o berço dos teus textos -- " texteiro " no pulsar do teu sangue... para o palpitar do meu sonho... hoje serei eu a ladra..shhh .shhh.. ( a sussurar ) guarda segredo...

1 BJ

daniel sant'iago disse...

Eu não digo nada, "ailéh"... Poço sem fundo!
Ate porque blogue é matéria reservada...rssssss!!!!!!!!!!
Beijo em segredo... shhhhhhhh!!!
daniel

O'Sanji disse...

Frutos
amargos, doces
num beijo
vermelho de amoras

daniel sant'iago disse...

Já acordei, "o'sanji"!
E muito bem disposto...
Bom dia!
Um beijo recuperado.
daniel

lisa disse...

Vinho branco fresquinho? Ok. Brindemos então, pode ser?
A ti a mim a nós.
Beijo fresquinho... rsrsrsr...

hirondelle disse...

alentejo, paz imensa, ternura, identificação, sensualidade, sabores e cheiros antigos que despertam para a vida... e um dom muito especial para escrever isto tudo (pode não ter nada a ver, mas foi assim que eu o senti :).beijo de trigo

daniel sant'iago disse...

Que saudades, "hirondelle"!
Mais importante do que possa ter sido a minha escrita, foi a leitura feita por uma "andorinha"
que teimava em (não) regressar...
Beijo "alentejano"... ;-)
daniel

daniel sant'iago disse...

"lisa":
À tua! À nossa! Saúde!
E, no meio de tanta fescura, prefiro um
beijo quentinho! ;-))
daniel